Pausa para Férias e Muitas Novidades

Olá!!!

Como você podem perceber, estamos em pleno momento de expansão aqui no ModaIN Jundiaí! Durante essa transição, escolhemos o período de Férias para arrumar a casa, por isso, “desculpem a bagunça”, mas é por uma ótima razão.

Em Fevereiro estaremos de volta, aí sim, com tudo no lugar e novidades que vocês vão adorar.

01

Ótimo 2015 a todos, divirtam-se nas Férias e nos vemos em Fevereiro!

Beijos!

Inspirações para o Ano Novo

Já decidiu seu mood para a noite da virada? Supersticiosa ou não, toda mulher gosta de caprichar nas escolhas para essa noite especial.

Seja qual for seu estilo, aqui estão algumas ideias bem atuais para botar para ferver a imaginação!

 

A intenção é festejar, por isso deixamos de lado opções mais tradicionais, optando por looks com muitas referências fashion, como o uso de cor e brilho, ressaltando o espírito de renovação de energias, típico do Réveillon.

Não se espeça: não importa o cenário, a festa quem faz é você!

Divirtam-se e que venha 2015, cheio de ótimas novidades para todos!!!

BJK!

VICTORIA`S SECRET 2014 POR TÁBATA BOCCATTO

Meninas,

O desfile passou, e deu o que falar… E a antenadissima Tabata Boccatto, fez um post INCRÍVEL com o melhor do desfile. Para quem ainda não viu, confira , porque foi demais!!

Tábata Boccatto

 blog: Last Look

Natal Relojoaria Nacional

Vocês já sabem que a Relojoaria Nacional está sempre presente aqui no ModaIN; amamos sua curadoria impecável de peças que elevam a categoria de qualquer look.

Pegando carona no ritmo natalino, não poderíamos deixar de mostrar essa seleção incrível de relógios, perfeitos para presentear a todos os gostos e estilos. Os preços estão ótimos – tem relógio a preço de camiseta!!!

Escolhas para eles!

Para elas!

Pra você que quer fazer suas compras pela internet, no site da Relojoaria Nacional tem outros modelos, clique aqui para conferir, ou vá até as lojas do Maxi Shopping: Av Antonio Frederico Ozanan, 6000 – 1º piso – contato 4523.1111 ou Jundiaí Shopping: Av. Nove de Julho,3333 2o. piso, contato 4588-0702.

BJK

 

 

 

 

Manual de sobrevivência para compra de pisos e revestimentos por Paula Possas Cereser

Toda semana saio pelo menos uma vez para escolher pisos e revestimentos com cliente, e tenho que confessar : a tarefa está cada dia mais difícil. A oferta de modelos importados está crescendo em ritmo alucinante e é preciso muito bom senso e calma para escolher.

Até  o final dos anos 90 / virada dos anos 2000 existia pedra, cerâmica e madeira. E ponto. Dos banheiros azul calcinha cheios de florzinha dos anos 70/80 até os marrons ou cor de vinho com louças escuras e assustadoras dos anos 80/90, chegando ao branco total no final dos 90 em oposição a todo este peso, os lançamentos anuais eram discretos e levava-se anos para haver uma mudança de tendência.

Entre os 90s e os 2000s, os tipos de pisos disponíveis no mercado mais que dobraram: as 3 categorias predominantes  passaram a ser 7. À pedra, cerâmica e madeira juntaram-se os porcelanatos, os cimentícios, os vinílicos e as pedras sintéticas, com nomes insondáveis como Silestone, Caesarstone Nanoglass. A internet espalha as novidades instantaneamente. Surge um gigante chamado China inundando o mercado de um número maluco de genéricos em todas as categorias e as opções disponíveis crescem em ritmo alucinante.

Eis senão quando, como se já não estivesse complicado o suficiente, um material começou a querer imitar o outro. Hoje em dia é porcelanato imitando cimento, cimento imitando madeira, cerâmica imitando pedra, cimento imitando couro, plástico imitando madeira, e todos fingindo que são velhos, manchados e com desgaste digno de piso de igreja de 500 anos.

Até eu, que vou para a Europa todo ano atrás de novidades e vejo isto todo dia há quase vinte anos, fico com um pouco de preguiça. Imagine o coitado do cliente. Pensando nesta pobre criatura, então, resolvi escrever uma lista com as principais dúvidas e tendências para facilitar um pouco o processo.

Para começar do zero: aqui no escritório a orientação que eu dou, basicamente, é a seguinte:

- colocar um piso só em toda a área social. Se for um piso frio esta integração inclui a cozinha.  Dá a sensação de que a casa é maior, integra a decoração, otimiza a colocação, reduz perdas de material. Cor neutra, rodapé alto branco e está pronto.

Um só piso em toda a área social dá a sensação de integração e amplitude, além de otimizar a compra de material

- se for madeira, entrar em todas as salas, escritório, home, hall, lavabo, com o mesmo piso, com colocação passando direto sem soleira entre os ambientes; a madeira pode até entrar na cozinha em casos específicos, mas não é prática para a maioria das famílias. Eu, particularmente, tenho na minha casa de férias madeira de fora a fora e cozinha totalmente integrada, mas lá quem usa e limpa sou eu. Acho que não preciso explicar mais nada…

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/mad-300x125.jpg

A madeira passeia bem por toda a área social da casa

- se for porcelanato, escolher um tamanho grande  e incluir nesta lista cozinha, copa, e até área de serviço e despensa se o preço for razoável. Tudo com o mesmo piso faz a área parecer  maior e fica mais bonito. Escritório e home podem, neste caso, receber o piso de madeira da área íntima para ficarem mais aconchegantes, ou podem ter piso frio também e um belo tapete para esquentar.

- se for mármore, limestone ou qualquer outra pedra ( granito não deixo! Muita poluição visual ), paginar em formatos bem grandes conforme as medidas da planta e pode usar até na cozinha também. Se você quiser mármore na sala e tiver um nível de TOC que impossibilite o mármore no piso da cozinha, por causa da porosidade ( tenho e amo mármore no piso da cozinha, mas muita gente tem resistência por achar que mancha fácil. Acho que é uma questão de cuidado super administrável),  colocar um porcelanato em formato, cor e textura semelhante e colocar uma soleira de mármore separando os dois.

- banheiros: escolher um material base de cor neutra e paginar todos os banheiros da área íntima com ele. Pode ser uma pedra ou um porcelanato.Porcelanato neutro vai ser, em 90% dos casos, off white, cru imitando pedra ou cinza imitando cimento queimado, tudo fosco. É o que “está usando”. Polidos estão em baixa, a menos que seja um conceito super modernoso, mas esta parte explico em seguida.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/banho-marrom.jpg

Pintura marrom destacando o branco

Piso, paredes se houver vontade, senão rodapé de meio piso ( exemplo: se a peça tem 80x80cm, o rodapé vai ter 40cm de altura), parede do box até o teto sempre. Tudo igual. Quase não uso mais azulejo. Vai o mesmo material em tudo. Não tem para que o ambiente ter mais um elemento, mais uma informação, a não ser que seja uma peça incrível e super diferente.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/banho-limestone.jpg

Monocromático de limestone e paredes com textura semelhante à pedra. Reparem na iluminação do nicho, é o ponto focal do ambiente.

Escolhe-se então um ponto focal. Pode ser uma pastilhinha linda de mármore, pedra com vidro colorido ou até madrepérola, pode ser uma pedra linda, pode ser um azulejinho vintage, e dai é só aplicar, com bom senso. Frontão, moldura no espelho, uma parede do box, nicho de shampoo, faixa horizontal na altura do nicho com o nicho em pedra….é a parte em que podemos viajar. Fica tudo padronizado, dá a impressão de coerência, mas cada banheiro tem uma surpresa, um detalhe interessante.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/banho-1.jpg

Criatividade e bom humor ao direcionar a vista para o ponto focal. Neste caso cimento queimado aditivado e pastilha vermelha, interessante.

O banho do casal pode ter um porcelanato mais legal do que o dos outros banheiros ou pode ter piso e paredes de pedra. Vai da vontade do cliente de destacar o banho master em relação aos outros.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/banho-3.jpg

Nichos de shampoo e banheira "freestanding". Amo.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-3.jpg

Piso neutro, tela em branco.

MITO: PISO GRANDE SÓ PARA AMBIENTE GRANDE

Não adianta. O que está na moda é piso grande. Enorme.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-18.jpg

Tamanhos enormes

Os porcelanatos estão cada vez maiores. Nas feiras os pisos gigantes chegam a beirar o limite do bom senso. Até nos grandes centros de material de construção se encontra, hoje, piso maior que 80x80cm pra tudo que é gosto. Ao mesmo tempo estão cada vez mais delgados, fininhos, chega a dar aflição.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-62-300x126.jpg

pisos de tamanhos enormes e cada vez mais finos dominando o mercado

A verdade é: peça menor que 60x60cm, pelo menos do caso de peça quadrada, não se usa mais. E o 60x60cm só para ambientes onde a prioridade seja economizar. O que impera hoje é 8 ou 80: ou a peça é gigante ou bem pequena, pastilhinhas para fazer algum detalhe ou formatos malucos que estão chegando com tudo. Partindo deste princípio, devemos usar o bom senso para escolher o melhor tamanho, para a necessidade  do cliente, em cada ambiente.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-61.jpg

Com um detalhe destes, a base tem que sumir para não ter briga

Os pisos quadrados, com  tamanhos como 80x80cm, 90x90cm, 1x1m ou 1,20×1,20m são apropriados para a grande maioria dos formatos de espaços. Nos banheiros pequenos, por exemplo, os empreiteiros adoooram falar pra cliente que tem que ser piso pequeno para dar menos sobra. Na verdade, é muito mais importante para o aproveitamento de material pensar na integração dos ambientes e numa boa paginação do que no tamanho da peça individualmente. Explico: é muito melhor escolher uma peça neutra grande e usa-la em toda a área molhada, por exemplo, aproveitando as quebras nos cantinhos, do que ter em cada ambiente um piso diferente e depois ter 4 ou 5 sobrinhas cada uma de uma cor.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/i385347-300x225.jpg

Off white pronto para receber um elemento de destaque como esta escada

Os outros formatos, como o retangular 1.20×0.60m, por exemplo, ficam muito bonitos para ambientes com plantas bem regulares, com cantos retos, e dão uma cara diferente, é uma opção bem interessante. E dá para inventar uma paginação irregular, como em amarração ( igual tijolinho), por exemplo.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/Memento-500x358-300x214.jpg

Cor neutra, composição criativa

Os porcelanatos gigantes, maiores que 1.00×1.00m, são maravilhosos, só tenho uma crítica: muitas vezes eles são tão caros que sai mais barato colocar um mármore ou limestone paginado, e para o valor percebido numa possível futura venda da casa a pedra natural será sempre aceita como mais nobre. O termo “paginado” quer dizer que você vai pagar mais caro mas vai cortar a pedra no tamanho que ficar mais bonito no seu ambiente. Eu costumo usar medidas entre 1.20mx1.20m e 1.50mx1.50m para cortar mármore ou limestone para piso, dependendo como fica a paginação ideal. Logicamente quanto maior a peça menos controle você tem sobre as manchas, já que é difícil descartar as mais manchadas ou jogá-las embaixo do tapete ( literalmente ) quando você está usando peças gigantes. É abraçar o elemento natural e pronto. Contratar uma empresa que passe um impermeabilizante e passe máquina para os rejuntes “sumirem” fica muito bom, assim como montar o quebra-cabeça mantendo a continuidade dos veios. ( Daí depende do QI do colocador, e como está difícil achar um bom… ).

P.s. para quem não sabe, limestone é a pedra da qual é feita a maioria dos monumentos e catedrais europeias. É uma parente do mármore travertino ( os dois são pedras naturais de origem calcárea ) que aqui chegou com este nome importado “porque soa mais chique”. Não confundir com Silestone, que é uma marca espanhola de pedra sintética. Existem várias cores bonitas de limestone, todas puxando para o bege, desde o clarinho até uma cor de café com leite forte.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-58.jpg

Limestone bruto….lindo demais

O fato, qualquer que seja o material,  é que as peças grandes têm poucos recortes e interferem pouco no resto da decoração, dando espaço para os detalhes com formatos malucos, estampas ousadas …

O VISUAL ORGÂNICO CONTINUA COM TUDO

A madeira, as pedras naturais, os acabamentos rústicos e todas as imitações de materiais naturais com suas imperfeições e heterogeneidade características ( “orgânico” em arquitetês significa “que remete à natureza” ) tiveram sua ascensão nos anos 2000 em oposição ao total white que estava na moda, que todo mundo ( me incluo totalmente nessa ) amava mas que, usado com exagero, fica gelado. Era piso branco polido, vidro, inox, material frio em cima de material frio, e quando alguém inventou de misturar madeiras bem desenhadas e cheias de veios com esta tela em branco foi um show e virou uma tendência que não dá o menor sinal de estar se esvaindo.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-55.jpg

Porcelanato bem rústico, com cara de pedra. Orgânico para esquentar esta composição em branco e preto

A questão, nesta área, é que as máquinas que estampam porcelanatos e cimentícios estão evoluindo tão rápido que a cada ano os lançamentos ficam mais fiéis ao material natural. Piso frio imitando madeira até outro dia era muito feio, e a cada ano uma marca supera a outra e eles estão ficando lindos. Os formatos, que antes eram formatos “de azulejo” e ficava óbvio que era imitação, ganharam todas as opções que realmente existem em pisos de madeira, tábuas largas, tacos, decks. As texturas estão cada dia mais sofisticadas, e até peças cimentícias para usar sem rejunte já existem ( o rejunte não nega a origem cerâmica, mas sem rejunte quem diz que é “madeira de mentira”? ).

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/download.jpg

Cimentício imitando madeira sem rejunte aparente

Fora os porcelanatos com estampa de mármore, estes não só estão cada vez mais bonitos como estão cada vez mais baratos.Qual é a armadilha então? Um piso que era maravilhoso em 2013 já pode ficar com cara de ultrapassado e mal feito em 2014, porque já lançaram um mais perfeito. Você pode ter uma casa de 5 anos e ficar encanada que seu piso está ridículo porque já houveram 5 gerações novas de pisos do mesmo tipo neste período, e a cada geração que lançam as anteriores ficam com mais cara de falsas…

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/imitando-travertino.jpg

Verdade ou mentira?

O que fazer para não cair nesta armadilha? Pra começar, temos que pensar na fase de vida do cliente. Entra aí a famosa “psicologia arquitetônica” ( amo! ). Qual o objetivo do cliente com este imóvel? É uma casa para a vida inteira, ou é uma “starter home” para ficar cinco a dez anos e daí mudar para uma maior? Qual o perfil destas pessoas? É mais clássico? Quem vai cuidar da casa? Tem criança e cachorro?

Tudo isto tem que ser levado em conta, sempre lembrando que o material natural não tem erro. Ele tende a ser mais caro mas não vai sair de moda, porque o valor dele sempre vai ser percebido. Quem coloca madeira de verdade no piso da casa mostra necessariamente que está fazendo uma casa caprichada, aos olhos de um possível futuro comprador. Mas claro que não adianta ter um lindo deck de madeira na piscina ( acabei de quebrar o meu, aliás, e troquei tudo por cimentício. Cansei…..) se você não tiver saco de ficar todo ano envernizando e cuidando.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/05-cersaie-2014-as-novidades-da-feira-de-revestimentos-300x300.jpg

Amo.Muito.

Enfim, imitar o elemento natural é tendência que chegou pra ficar, o mercado está aquecidíssimo, e eu gosto de usar, e gosto de usar escancaradamente, sem disfarce. É valorizar a tecnologia que nos permite ter peças tão bonitas, não encanar com o nível da imitação.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/03-cersaie-2014-as-novidades-da-feira-de-revestimentos-300x300.jpg

Padrão madeira e estampa juntas

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/b_prodotti-20090-rel585a3c5c-b14d-4c79-aec6-ca17da62f1d4-300x225.jpg

Natural ou sintética?

COMO TIRAR PROVEITO DA MODA VINTAGE

A impressão que dá é que, de repente, todos os fabricantes começaram a fazer azulejinho com cara de ” casa de vó “.

O visual antiguinho, típico dos ladrilhos hidráulicos, sempre teve um público cativo. Entra moda, sai moda e sempre tem uns clientes que curtem, que gostam do rústico, da cara de casa de fazenda. Nos últimos dois anos generalizou. Agora TODO MUNDO quer azulejinho vintage. E TODOS os fabricantes lançaram suas versões.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/comillas-alfombra-a4-2-01-b-300x256.jpg

Cara de velho, resistência de novo

O que é legal é que são versões estampadas em computador, e a variedade de estampas é incrível. E, se o ladrilho hidráulico original é poroso e mancha super fácil, as versões industriais são altamente resistentes e muito mais fáceis de lidar. Fica muito lindo na cozinha, e dá vida a qualquer composição.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/Cafe-and-tapas_detalle-cera-300x150.jpg

Como ladrilho hidráulico

Minha indicação é uma só. Cuidado para não cansar. Depende muito da sensibilidade do cliente para com estampas e cores fortes. Tem gente que convive bem com estampa bem chamativa e tem gente que enjoa, é da pessoa, nós arquitetos só temos que detectar esta tendência e dar uma podada naquele cliente que está empolgado com a moda, mas que depois vai perceber que a casa dele é zero rústica e o azulejinho cara de casa de vó não tinha nada a ver.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/04-cersaie-2014-as-novidades-da-feira-de-revestimentos-300x300.jpg

Casa de vó repaginada no lançamento da Mosarte

Costumo dizer que, na dúvida, use só na churrasqueira e lavabo. Não tem perigo de cansar.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/gourmet-31.jpg

Cozinha com azulejinhos vintage.

PISO IMITANDO MADEIRA TEM CONFORTO DE MADEIRA?

Esta é uma boa questão, que respondo toda semana para cliente. E a resposta é:  não. Mas dependendo do material está chegando bem perto.

Os vendedores vivem falando sobre as texturas perfeitas dos pisos que imitam madeira, mas minha dica é, sempre:  pise neles descalço. Cliente que sai comigo não pode usar meia rasgada, porque vai tirar o sapato!

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/download-2.jpg

Exemplos de cores de laminados de madeira

A temperatura da madeira nunca será a mesma da porcelana. O piso de madeira é quentinho mesmo, não é só no visual que ele esquenta o ambiente.

O laminado é madeira com uma cobertura plástica prima da fórmica estampada. Mas embaixo é madeira. O vinil já é todo plástico estampado. O porcelanato é como pisar num prato, daqueles de comer. Você pode colocar vinil no seu quarto? Pode. Pode colocar porcelanato? Claro. Mas pisa bastante antes para ver se se acostuma com a temperatura.

Outra coisa: coisa mais feia é material imitando madeira ao lado da madeira de verdade. Sempre pense nas divisões entre um ambiente e outro e na interação do piso com móveis e armários feitos de madeira. Cuidado ao misturar cores e, quando um material for bem desenhado e cheio de veios, priorize os lisos perto dele.

Mais um aviso: os acinzentados estão super em alta, mas cuidado para não encher a casa toda de madeira cinza e depois cansar. Prefiro usar em peças menores.

POLIDO OU FOSCO?

Quando apareceram os porcelanatos, só existiam os polidos, e foi uma febre. Com o tempo os foscos passaram a dominar e agora 90% dos clientes não quer saber de brilho. Nas pedras segue a mesma tendência.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-38.jpg

Polido – super brilhante – tem que saber usar

Os 10% dos clientes que estão pedindo porcelanato polido, hoje, acham que ele é mais prático de limpar que o fosco, o que não é necessariamente verdade. Se o porcelanato for fosco ( “matte” como chamam as lojas ) mas não tiver uma textura rústica, que junta realmente mais sujeira, não há motivo para achar que ele é frágil. Ele na verdade deixa o ambiente mais frio e briga um pouco com a decoração, então tenho usado realmente pouco, só se o cliente faz muita questão.

O porcelanato polido este ano deu uma voltada, especialmente nas cores escuras, na esteira da moda da laca brilhante nos móveis. Serve para ambientes super modernos, muitas vezes comerciais, ou para dar um tchans num hall ou num lavabo, sempre do lado de decoração bem contemporânea.

CIMENTÍCIO x CIMENTO QUEIMADO x TECNOCIMENTO

Este é outro segmento do mercado que dá muita dúvida.

Cimento queimado é moderno, é rústico, é interessante. Mas mancha e racha que é uma tristeza, além do que exige pedreiro extremamente bem treinado para ficar bem feito ( existe isso ainda? ).

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-281.jpg

Cimento queimado ou imitação?

Os cimentos aditivados ( a marca mais conhecida é o Tecnocimento ) são espalhados como o cimento queimado, mas têm aditivos elásticos que aumentam a flexibilidade do material, fazendo com que ele não tenha aquelas famosas rachaduras causadas pela dilatação com o calor e movimentação normal do terreno.

Assim como outros pisos em manta bem conhecidos, como o Fulget, o Tecnocimento tem a aplicação rápida e cobre grandes áreas. Fica bem bonito. Não é super barato e não é resistente como um porcelanato, mas tem um charme artesanal.

Já o cimentício é vendido em placas de tamanhos variados ( o mais popular é 1 m x 1 m ), bem pesadas, e tem uma infinidade de texturas e cores, hoje imitando cimento queimado, madeira e até couro com maestria. Ele se tornou muito popular em áreas externas e bordas de piscinas por suas características atérmicas ( é fresquinho de pisar mesmo que esteja 40 graus, uma delícia ), antiderrapantes e por dar acabamento perfeito em bordas de piscinas com qualquer formato.Com o tempo, no entanto, sua indústria se desenvolveu e hoje temos muitas opções lindas e super diferentes. Adoro trabalhar com cimentício.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/castellato-parede.jpg

Cimentício geométrico na parede. Bem iluminado fica um show.

É interessante, contudo, passar um produto protetor ( que eles chamam de hidroóleofugante ) para prevenir manchas. E não dá pra se iludir, cimentício não tem a praticidade de porcelanato.

CERSAIE 2014 – FORMATOS IRREGULARES CHEGARAM PARA FICAR

Não dá para falar em pisos e revestimentos sem mencionar a maior feira do mundo do setor, que este ano foi em Bolonha, na Itália.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-56.jpg

Maior feira de pisos e revestimentos do mundo

As novidades que mais me chamaram a atenção foram as peças cerâmicas em formatos diferentes misturados, como um Tangram. O interessante é que você consegue ter uma composição única, só sua, já que cada um monta o seu quebra-cabeça do jeito que quiser. Cores e estampas variadas estão tão desenvolvidas que muitas vezes a peça parece uma foto.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-14.jpg

Como num Tangran

E também, dentro do tema do intenso desenvolvimento da iluminação em Led, as peças que vêm com iluminação por dentro. Incrível!

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/01-cersaie-2014-as-novidades-da-feira-de-revestimentos-300x300.jpg

Revestimento com luz dentro!!!

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-5.jpg

Composição em madeira

Os formatos diferentes imperaram e encontrei vários exemplos super criativos do uso da cerâmica/porcelana. Penso que são peças com muita personalidade e por isso mesmo pedem base neutra, onde entram os pisos foscos gigantes, ainda em alta. Os orgânicos continuam em pleno desenvolvimento. Estas três tendências permanecem sem dar o menor sinal de arrefecimento.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/Cersaie-Fave-7-Ornamenta-Gamma-Due-1-600x450-300x225.jpg

Formatos alternativos, composição única.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-4.jpg

Mais uma composição estilo vintage muito legal.

http://paulapossas.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/11/images-15.jpg

As estampas cada vez mais perfeitas

COMO DECIDIR ONDE INVESTIR SEU DINHEIRO

Por fim, é importante lembrar que, num mundo em que produtos entram e saem do mercado muito rápido, é importante ter um desenho de paginação bem feito e comprar os materiais sempre com bastante sobra. Imagine só, você encontrar um piso lindo e barato, comprar justinho e depois nunca mais encontrar reposição? Acontece demais, até porque, hoje, mesmo produtos de marca podem ser made in China e você nem ficar sabendo. Marcas conhecidas são garantia de um serviço de pós venda decente, então comprar genérico só com muito cuidado.

Cuidado também com a compra impulsiva de produtos que estão “na moda”. Pense sempre em quem é a estrela do ambiente e quem são os coadjuvantes, e sempre priorize a qualidade de desenho a características menos importantes que podem um dia ficar datadas.

Espero ter ajudado vocês na dura tarefa de escolher acabamentos num mundo em fase de excesso de informação ! Coloquei aqui as questões que mais aparecem no meu escritório, e aguardo contato de quem tiver mais dúvidas, é um prazer responder!

p.s. todas as opiniões aqui escritas são unicamente minhas. Para dúvidas técnicas o melhor é sempre contatar o fabricante.

Paula Possas Cereser

Blog: paulapossas.com.br 

Aniversário de Jundiaí 359 anos!!!

Parabéns Jundiaí pelos seus 359 anos!!

BJK

 

https://www.youtube.com/watch?v=HkHxRJY2gk8

 

Versatilidade e Elegância com Gregory

Esse período do ano costuma envolver muita correria no nosso cotidiano, mas nem por isso deixa de ser, provavelmente, o mais divertido também!

A proximidade das Festas, férias e alto verão coloca um sorrisinho a mais no rosto da gente, tudo graças à atmosfera de celebração e a luminosidade dos dias, que invadem nossas vidas nessa estação.

Para dar aquela força na hora de não pecar no visual, selecionamos alguns looks com peças Gregory, que vão agregar beleza, qualidade e muito estilo a suas escolhas para a temporada.

Acessórios Estela Geromini

Gostaram? Nas lojas Gregory do Jundiaí Shopping e Maxi Shopping você encontra muuuuito mais. Vá conferir!!

BJK

Créditos: Look Gregory Romântico criativo: acessórios #estelageromini; look Prático refinado, Trés chic e Clássico contemporâneo acessórios #polyvore #moda #trend #estilo #imagemeestilo #consultoriadeimagem #personalshopper

 

Presentes no Natal Iluminado Humanitarian

O tempo parece estar voando e já não dá mais para adiar as compras de Natal. Como prometemos, selecionamos mais algumas opções do Natal Iluminado Humanitarian, tudo bem atual e acessível, pra você fazer sucesso na hora de presentear!

Sandália Via Rio

 

Sandália Código K

 

Mocassim Iwy

 

Sandália Lisa Marie

E sempre:

Sandália Código K

 

Nada de esquecer dos meninos, não é mesmo? Os queridos nem sempre admitem, mas adoram presentinhos…

Bota Gagliano

 

Bota Gagliano

 

Sapato Argos

Não se esqueçam, nas lojas tem muuuito mais! A rede de lojas (mais de 50, espalhadas pelo Brasil todo) tem um amplo portfólio de produtos, e não há como não encontrar várias peças bem interessantes em seu mix de marcas.

Você ainda pode se beneficiar usando o Cartão Humanitarian. Com ele você tem crédito, agilidade e a possibilidade de parcelar seus presentes em até 8x, com 60 dias para começar a pagar.

 

Em Jundiaí você pode encontrar lojas Humanitarian em três endereços:

Av. Frederico Ozanan, 6000 – loja 2555, Piso 2 – Maxishopping Jundiai. Tel.: 4497-1448/4521-0841

Rua do Rosário, 329. Tel.:3379-9013

Rua Barão de Jundiaí - Tel.:3379-9017

Veja AQUI nossa primeira seleção de produtos Humanitarian.

BJK

Outback Jundiaí Confraterniza Com Profissionais da Mídia por Vagner Lima

Com Ariane Moraes e a assessora de imprensa Rosana Spinelli

A proprietor do Outback Jundiaí, a super simpática Ariane Moraes, recebeu os profissionais de imprensa e blogueiros para um almoço de confraternização.

O Outback completou recentemente dois anos de sucesso, sempre tratando com muito respeito e carinho os profissionais de mídia da cidade. 

Profissionalismo e calor humano são características da marca Outback em todos os lugares.

Vagner Lima

Clique aqui para saber mais Vagner Lima Vamos Lá

Marsala a Cor de 2015

Marsala é a segundo Pantone cor de 2015.

A coloração é uma variação do vinho ou burgundy, o novo tom terroso é uma coloração que se usada sozinha transmite elegância e sofisticação, e ainda combinada com determinadas cores  as acentuam.

 

Preparem-se! Como sempre acontece depois da divulgação, encontraremos várias nuances dessa cor, aplicadas em todos os setores criativos além da Moda, como Design, Decoração e muito mais.

 

      

http://www.pantone.com/pages/index.aspx?pg=21163

Gostou da da cor? Você sabe se a cor marsala harmoniza com sua pele e se está na sua cartela de cores? 

Em breve farei um post falando sobre Analise Cromática, cores que valorizam sua pele e estilo.

#estilopessoal #consultoriadeimagem #personalshopper #pantone #trend #moda #imagemeestilo #loveit

Eu adorei e vocês?!

Bjk

 

1 2 3 90